top of page
Search

PRINCIPAIS CONTRIBUIÇÕES DO KAIZEN NAS INDÚSTRIAS DE CONFECÇÃO - Parte 1 de 2



Os Kaizens representam um conjunto de práticas destinadas a aprimorar os processos, visando à eficiência do trabalho através da minimização de desperdícios, melhorias nas condições ergonômicas, estabelecimento de padrões, simplificação dos movimentos e outras facilitações laborais. O objetivo deste estudo é identificar as principais melhorias destacadas pela academia em relação aos Kaizens aplicados na indústria de confecção no período de 2018 a 2022, e para atingir esse propósito, será realizada uma revisão sistemática da literatura sobre a aplicação de Kaizens na indústria têxtil. Os resultados dessas intervenções nos setores de confecção ilustram uma seleção das melhorias mais significativas, revelando que as atividades Kaizen têm impacto direto ou indireto na redução de custos, um fator crucial para o aumento dos lucros. A pesquisa adotou uma abordagem qualitativa com natureza exploratória.

1. INTRODUÇÃO

Na indústria de confecção, em um contexto altamente competitivo e dinâmico, é imperativo ser competitivo em termos de prazos de entrega, preço do produto e conformidade com requisitos explícitos ou implícitos. No passado, em uma era artesanal, o preço de um produto era determinado pelo custo de produção mais a margem de lucro desejada pelo artesão. Hoje, no entanto, o mercado de confecção segue um modelo diferente, onde o lucro de uma empresa é resultado do preço, que é influenciado pelo mercado, menos os custos de produção. Como o lucro é vital para a existência e sustentação de uma empresa, e o preço é uma variável ditada pelo mercado, a redução de custos torna-se um fator fundamental para aumentar a lucratividade.

De acordo com Womack, Jones e Roos (2004), o Lean Manufacturing busca maximizar a eficiência ao minimizar o uso de recursos. Esta abordagem é especialmente relevante para a indústria de confecção, que constantemente procura adotar práticas do Lean Manufacturing, incluindo as atividades de kaizen. Essas atividades têm como objetivo efetuar melhorias incrementais nos processos, como a elaboração de procedimentos operacionais, a implementação do Just in Time (JIT), a automação de tarefas, a utilização eficaz de equipamentos, a redução de perdas e o controle de qualidade. Com todos os níveis hierárquicos engajados na conscientização da importância da competitividade para a sobrevivência da empresa, qualquer colaborador pode propor iniciativas de kaizen.

No Brasil, a indústria têxtil e de confecção é um setor significativo, com um faturamento de 190 bilhões de reais em 2021 e a produção de 8 bilhões de peças, conforme dados da ABIT (2023). Esse setor abriga 22,5 mil empresas formais, o que representa 19,5% da força de trabalho da indústria de transformação nacional. A indústria de confecção é a segunda maior empregadora do Brasil, ficando atrás apenas da indústria alimentícia.

Além do Brasil, outros países como Índia, Paquistão, Bangladesh, Etiópia e Peru também desempenham um papel relevante no mercado têxtil e de confecção, aplicando práticas do Lean Manufacturing, em particular, as atividades de kaizen. Diante desse contexto, surge a seguinte questão de pesquisa: "Quais são os principais benefícios observados nas indústrias de confecção devido à implementação de kaizens, conforme revelado por uma revisão sistemática da literatura de 2018 a 2022?". O objetivo principal deste estudo é identificar os principais ganhos destacados pela academia em relação aos kaizens aplicados à indústria de confecção durante esse período. O objetivo específico é identificar as principais ferramentas e abordagens, como ferramentas de qualidade e métodos lean, que apoiaram a implementação bem-sucedida das atividades de kaizen e seus resultados.


2. REFERENCIAL TEÓRICO

Este referencial teórico abordará três tópicos essenciais: #Lean #Manufacturing, #kaizen e indústria de #confecção.


2.1 Lean Manufacturing

Durante e após a Segunda Guerra Mundial, o Japão enfrentou escassez de recursos e uma crise econômica. A Toyota, uma empresa automobilística japonesa, desenvolveu o Toyota Production System (TPS) para competir com a crescente indústria automobilística americana. O TPS tinha como objetivo entregar produtos perfeitos aos clientes, atendendo suas demandas de quantidade, qualidade e prazo. O Lean Manufacturing é visto como uma extensão do TPS (WOMACK; JONES; ROOS, 2004).

O principal objetivo do Lean Manufacturing, de acordo com Bashar e Hasin (2018), é eliminar desperdícios na produção, tornando-se altamente responsivo às necessidades dos clientes, produzindo produtos de alta qualidade de forma eficiente. A implementação do Lean Manufacturing é vista como um processo complexo por Bashar e Hasin (2018), mas como uma abordagem simples e econômica por Luna et al. (2021), que facilita as operações diárias tanto para os funcionários quanto para as empresas.

As atividades do Lean Manufacturing, incluindo o kaizen, visam a melhoria contínua dos processos, eliminando atividades que não agregam valor (desperdícios), conforme proposto por Rajpoot, Kurmi e Thakur. As perdas podem ser agrupadas em sete categorias: tempo de espera, correção, movimento, transporte, processamento excessivo, estoque e superprodução (Bashar; Hasin, 2018). Além dessas categorias, Dennis (2008) destaca uma oitava categoria, conhecimento não aplicado, enfatizando a importância da comunicação entre a empresa, fornecedores e clientes. Para enfrentar os desafios globais da indústria, é crucial manter os processos de produção livres de desperdícios e atividades que não agregam valor, como destacado por Hasan et al. (2019) em relação à indústria de confecção.


2.2 Kaizen

#Kaizen é uma expressão japonesa que significa "melhorar continuamente" e está associada à busca constante de aprimoramento. Surgiu da necessidade de reduzir perdas e aperfeiçoar os processos na Toyota. No contexto industrial, o kaizen é frequentemente vinculado ao Lean Manufacturing no Ocidente (WOMACK; JONES; ROOS, 2004).

Segundo Hasan et al. (2019), ao combinar o kaizen com os 5S's, é possível identificar processos que não agregam valor e eliminá-los da produção. Jaleel et al. (2022) definem o kaizen como uma filosofia que busca melhorar continuamente os aspectos do processo. Imai (1986) descreve o kaizen como uma melhoria gradual e contínua, concentrando-se em aprimorar pequenos detalhes e estabelecer padrões mais elevados. A norma NBR ISO 9000 define melhoria como uma "atividade para melhorar o desempenho" (ABNT, 2015, P.15) e melhoria contínua como uma "atividade recorrente para aumentar o desempenho" (ABNT, 2015, P.15). Essas definições podem ser aplicadas a sistemas de gestão de qualidade, ambiental e de segurança no trabalho. Dennis (2008) enfatiza que o kaizen é uma atividade estruturada que envolve o envolvimento das pessoas, metas, atividades de círculos kaizen, treinamento prático de kaizen, administração e promoção das atividades de círculos kaizen, captação de ideias, relatórios estruturados, tratamento estruturado das necessidades de melhoria e planejamento Hoshin. O kaizen frequentemente utiliza a ferramenta PDCA (Plan, Do, Check and Act), que envolve planejamento, execução, verificação e ação para corrigir ou melhorar os processos (Andrade et al., 2020). Portanto, o kaizen está alinhado com o conceito de melhoria contínua, sendo uma atividade recorrente e estruturada para aprimorar o desempenho dos processos ou características de uma empresa.


2.3 Indústria de Confecção

A indústria de confecção é a etapa final da produção têxtil, envolvendo a fabricação de roupas e acessórios de vestuário (Dutra et al., 2011). Os processos nessa indústria incluem o desenvolvimento de produtos, modelagem, enfesto, corte de tecidos, costura, aplicação de silk-screen e bordados, bem como acabamentos como a aplicação de botões, arremates e passadoria.

Andrade et al. (2020) destacam que o setor têxtil enfrenta atrasos na produção devido a processos ineficientes e demorados. Essa ineficiência pode ser atribuída aos desperdícios discutidos anteriormente, que afetam várias operações de fabricação. A necessidade de uma resposta rápida às mudanças de estilo, especialmente em fábricas de vestuário que lidam com pequenos lotes e pedidos, é enfatizada por Güner e Ünal (2008). Nesse contexto, a implementação de kaizens para a redução de desperdícios e a otimização dos processos pode fortalecer a capacidade da indústria de confecção em se adaptar às mudanças de estilo.

No Brasil, o setor de confecção é o segundo maior empregador na indústria de transformação e é reconhecido internacionalmente por sua expertise em jeanswear, moda praia, homewear, fitness e lingerie (Wendt; Baú, 2022). No entanto, a baixa eficiência de produção devido a desperdícios de recursos e altas taxas de defeitos tem sido um desafio enfrentado pela indústria de confecção (Flores et al., 2021). Nesse contexto, o Lean Manufacturing destaca-se como uma abordagem para tornar a indústria mais competitiva por meio da eliminação de desperdícios.


3. METODOLOGIA

A metodologia empregada neste estudo é a revisão sistemática da literatura (RSL), que segue uma abordagem exploratória e incorpora métodos quantitativos e qualitativos.

Conforme enfatizado por Okoli (2019), uma revisão sistemática da literatura deve ser abrangente, independente e seguir uma metodologia clara. Deve ser explícita na descrição dos procedimentos e incluir todo o material relevante. Isso garante que a revisão possa ser replicada por outros pesquisadores interessados em explorar o mesmo tópico. Okoli (2019) propõe oito etapas a serem seguidas no protocolo de revisão sistemática da literatura, conforme detalhado no Quadro 1.




Os oito passos delineados no Quadro 1 constituem uma base essencial para conduzir uma revisão sistemática da literatura.


3.1 Planejamento

3.1.1 Planejamento do Protocolo da RSL

Na fase inicial da revisão, por meio da ferramenta Parsifal, foram formalizados o título do estudo, a descrição (resumo) e os nomes dos autores. Durante a etapa de planejamento, estabeleceu-se o protocolo da revisão, com o objetivo geral de identificar os principais benefícios relatados em relação aos kaizens aplicados na indústria de confecção no período de 2018 a 2022. O objetivo específico visava à identificação das principais ferramentas de qualidade ou ferramentas lean utilizadas nas atividades de kaizen e os resultados alcançados. Para definir os critérios de inclusão, optou-se por empregar o método PICOC (Population, Intervention, Comparison, Outcome and Context), delineando os dados a serem considerados na revisão. O Quadro 2 resume os dados formalizados na ferramenta Parsifal em cada um de seus campos.




A ferramenta Parsifal foi empregada para formalizar a questão de pesquisa, que se propõe a investigar os principais conjuntos de benefícios associados ao kaizen nas indústrias de confecção em um levantamento abrangendo o período de 2018 a 2022. Com o intuito de localizar dados pertinentes, três palavras-chave e seus sinônimos, estritamente relacionados à intervenção, foram selecionados conforme a metodologia PICOC. O Quadro 3 apresenta essas três palavras-chave escolhidas e seus respectivos sinônimos.




Para composição da string de busca, utilizou-se:

- Clothing e seus sinônimos, utilizando o operador booleano OR entre eles;

- kaizen e seus sinônimos, utilizando o operador booleano OR entre eles;

- Industry e seus sinônimos, utilizando o operador booleano OR entre eles;

Entre cada grupo de sinônimos de palavras-chave, utilizou-se o operador booleano AND, resultando na seguinte string:

(kaizen OR “continuous improvement*” OR “melhoria contínua”) AND ("clothing" OR "garment*" OR "apparel*" OR "sewing" OR "confecç*" OR "vestuario*") AND (industr* OR manufatura OR fabricação OR produção OR transformação OR oficina OR manufactur* OR production OR transformation OR office).

Para condução da busca, selecionou-se três fontes, conforme quadro 4, onde entende-se que seriam obtidos números relevantes de artigos abertos à consulta.




Foram estabelecidos critérios de inclusão e exclusão com o propósito de orientar a pesquisa nas bases de dados, com a finalidade de restringir o número de resultados e estabelecer uma base sólida para a avaliação da qualidade dos artigos. O Quadro 5 detalha os critérios de inclusão e exclusão que foram aplicados durante o processo de seleção dos estudos.




Com base nas informações do quadro 5, pode-se concluir que foram utilizados dois critérios para inclusão e um para exclusão.


3.1.2 Planejamento da Avaliação de Qualidade

A avaliação da qualidade dos artigos foi conduzida tendo como referência a seguinte questão: "O artigo aborda a aplicação do kaizen na indústria de confecção, apresentando resultados de forma clara e está disponível para consulta?" Na sequência, o Quadro 6 exibe as potenciais respostas para essa indagação e as correspondentes pontuações planejadas, com base na natureza da resposta dada.


Com base nas informações do quadro 6, pode-se concluir que foram desenvolvidas três questões com 3 pontuações atreladas para a avaliação da qualidade dos artigos.



Em breve a parte 2 de 2, onde falarei sobre a seleção dos artigos, resultados e conclusão.

8 views0 comments

Komentarze


bottom of page